Dicas e Novidades

26/12/2016 - XYLITOL

Resultado de imagem para xilitol

XILITOL

O xilitol é um adoçante de volume saboroso, de baixo valor calórico e não prejudica os dentes. Descoberto em 1891, o xilitol tem sido usado como agente adoçante na alimentação humana desde a década de 1960. Ganhou aceitação generalizada como adoçante alternativo devido ao seu papel na redução do desenvolvimento de cáries.

O xilitol ocorre naturalmente em muitas frutas e legumes, incluindo milho, framboesa, ameixa, entre outros e encontrado em alguns cogumelos. Também é produzido pelo corpo humano durante o metabolismo normal. É obtido pela hidrogenação catalítica da xilose. Produzido comercialmente a partir de plantas como a bétula e outras árvores de madeira dura e vegetação fibrosa, o xilitol tem a mesma doçura e volume da sacarose com um terço menos calorias e nenhum sabor desagradável após ingestão. Dissolve-se rapidamente e produz uma sensação de frescor na boca.

O xilitol tem aprovação para uso em alimentos, produtos farmacêuticos e para a saúde bucal em todo o mundo. O xilitol é usado em alimentos como gomas de mascar, balas de goma e balas firmes e em produtos farmacêuticos e para a saúde bucal como pastilhas para garganta, xaropes para tosse, multivitaminas mastigáveis infantis, cremes dentais e antissépticos bucais. Nos Estados Unidos, o xilitol é aprovado como aditivo alimentício direto para uso em alimentos para dietas especiais.

BENEFÍCIOS

  • Sabor gostoso sem nenhum gosto desagradável após ingestão
  • Doçura e volume iguais aos do açúcar
  • Ajuda a reduzir o desenvolvimento da cárie dentária
  • Reduz a formação de placa bacteriana
  • Aumenta o fluxo salivar para ajudar na reparação do esmalte danificado dos dentes
  • Contribui com um terço menos calorias que o açúcar: cerca de 2,4 calorias por grama.
  • Pode ser útil como alternativa ao açúcar para diabéticos, desde que a conselho médico.
  • É perfeitamente capaz de substituir a sacarose;
  • Devido à sua elevada estabilidade química e microbiológica, atua, mesmo em baixas concentrações, como conservante de produtos alimentícios, pois impede o crescimento de microrganismos;
  • Devido à ausência de grupos aldeídicos ou cetônicos em sua molécula, não participa de reações com aminoácidos, conhecidas como reações de Maillard. Portanto, não sofre reações de escurecimento não enzimático, que provocam diminuição do valor nutricional das proteínas;
  • Devido ao seu elevado calor de solução endotérmico (34,8 cal/g), produz um agradável efeito refrescante na boca quando entra em contato com a saliva, sendo capaz, devido a essa propriedade organoléptica, de realçar o efeito refrescante dos produtos com sabor de menta;
  • Observou-se efeitos laxativos decorrentes da ingestão em doses superiores à 60g por dia;
  • Possui ação anticariogênica, determinada principalmente pela sua não fermentabilidade por bactérias do gênero Streptococcus. Assim, limita a proliferação desse tipo de bactéria na flora bucal, reduz a quantidade de polissacarídeos insolúveis e aumenta a de polissacarídeos solúveis, o que resulta em uma placa menos aderente e de fácil remoção pela escovação habitual dos dentes. Também aumenta a salivação, o que promove a remineralização dos dentes e, consequentemente, a reversão das cáries em estágio inicial, bem como previne a queda do pH da superfície dos dentes, resultante da metabolização de bactérias anaeróbicas;
  • É indicado para tratar diabetes, desordens no metabolismo de lipídeos, lesões renais e parenterais; e para prevenir otite, infecções pulmonares e osteoporose.

ÚTIL NAS DIETAS PARA DIABÉTICOS

Atualmente, controle de glicemia, lipídios e peso são os três objetivos principais do controle do diabetes. O xilitol é absorvido lentamente. Portanto, quando o xilitol é usado, o aumento da resposta do organismo ao aumento da glicose e insulina no sangue associado à ingestão de glicose fica significativamente reduzido (o xilitol tem um índice glicêmico reconhecido de 8). O valor calórico reduzido (2,4 calorias por grama, contra 4,0 do açúcar) do xilitol é coerente com o objetivo de controlar o peso. Produtos adoçados com xilitol, em vez de açúcar, podem ser úteis ao proporcionar uma maior variedade de opções sem açúcar e de calorias reduzidas para diabéticos.

O menor valor calórico do xilitol e de outros polióis também é reconhecido em outros países. Por exemplo, a União Europeia elaborou uma diretiva para rotulagem nutricional que declara que os polióis, incluindo o xilitol, têm valor calórico de 2,4 calorias por grama.

SEGURANÇA

Em 1986, a Federação de Sociedades Americanas de Biologia Experimental (FASEB, Federation of American Societies for Experimental Biology) foi contratada pela Agência Federal de Alimentos e Medicamentos (FDA) dos EUA para examinar todos os dados importantes relativos ao xilitol e a outros polióis. As conclusões científicas do relatório FASEB indicam que o uso do xilitol em seres humanos é seguro. O relatório também afirma a aceitação do xilitol como aditivo aprovado para uso em alimentos de dietas especiais.

Em 1996, o Comitê Conjunto de Especialistas em Aditivos Alimentares (JECFA), prestigiada entidade consultiva científica da Organização Mundial de Saúde e da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura confirmou a segurança do xilitol para consumo humano e estabeleceu uma ingestão diária aceitável (IDA) de xilitol “não especificada”. A IDA, expressa em termos de peso corporal, é a quantidade de um aditivo alimentício que pode ser consumida diariamente durante toda a vida sem oferecer risco. A IDA “não especificada” é a categoria mais segura que o JECFA pode atribuir a um aditivo alimentício. O Comitê Científico para a Alimentação Humana da União Europeia (UE) também determinou que o xilitol é “aceitável” para usos alimentares. O xilitol é aprovado em mais de 35 países.

 

 

13/10/2016 - Stevia e sua importância 

Com capacidade de adoçar 300 vezes mais que o açúcar, a planta não possui calorias e é diurética. Seu princípio doce, o glicosídeo, foi isolado na Alemanha em 1908, mas índios Guaranis já a usavam, por conter propriedades medicinais. Sua ação hipoglicêmica estimula a secreção de insulina, reduzindo o nível de glicose no sangue. Por isso alimentos adoçados com Stevia podem ser muito importantes na dieta de diabéticos.

O que faz a Stevia ser tão atraente como adoçante é que o corpo humano não digere e nem metaboliza este glicosídeo, o composto que dá o sabor doce, então não obtemos calorias da Stevia. Além disso, o glicosídeo não se modifica no trato intestinal, por isso a planta possui índice glicêmico igual a zero. Como se não bastasse, as folhas da Stevia contêm vários nutrientes necessários a uma dieta saudável:

Sais minerais: Alumínio, Cálcio, Cromo, Cobalto, Flúor, Ferro, Magnésio, Manganês, Fósforo, Potássio, Selênio, Sódio, Estanho, Zinco;

Vitaminas: Ácido ascórbico (vitamina C), Beta-caroteno (precursor vitamina A), Niacina, Riboflavina, Tiamina (vitaminas do complexo B);

A Stevia tem como seus principais benefícios:

  • não causa diabetes;
  • não contém calorias;
  • não altera o nível de açúcar no sangue;
  • não é tóxica; inibe a formação da placa e da cárie dental;
  • não contém ingredientes artificiais;

 

Pague com
  • PagSeguro
Selos
  • Site Seguro

MovimenthAÇÕES Corporais - CNPJ: 11.761.832/0001-47 © Todos os direitos reservados. 2019

Plataforma Loja Integrada